Criança que nasceu com diagnóstico raro foi abençoada pelo Papa no Rio de Janeiro; ela esteve em Ribeira do Pombal

0


“Deram apenas 24 horas, mas ela se tornou um símbolo de vida”, vibra Haroldo Lucena, um carpinteiro de 51 anos, referindo-se à filha. Ele e sua esposa, Maricelma da Silva, 33,  são missionários católicos e pais dos gêmeos univitelinos (idênticos), Mateus e Ruhama.

Emocionado ele declarou que “Mateus é uma criança normal, Ruhama apresenta uma má formação congênita que intriga a medicina”. Realmente, à primeira vista, é fácil perceber que a síndrome ainda não diagnosticada pela ciência médica, mas isso não foi capaz de abalar a alegria que Ruhama, já que o brilho dos seus olhos manifesta uma alegria pura, que é acompanhada de um sorriso angelical. Ela nasceu sem o bulbo, porção inferior do tronco encefálico que estabelece comunicação entre o cérebro e a medula espinhal, relacionando-se com funções vitais como a respiração, batimentos cardíaco, pressão arterial e com reflexos como mastigação, fala, visão e coordenação motora. Ela veio ao mundo em 2012 e, desde o início, os médicos acreditavam que ela não ficaria viva mais do que um dia, mas, segundo a mãe, aquele foi o início de um milagre, já que, passados 6 anos, Ruhama ainda está viva e feliz.

Haroldo Lucena com os filhos Mateus e Ruhama

No dia 27 de julho de 2013, eles conseguiram a bênção do papa Francisco, quando ele deixava a Catedral do Rio por conta da realização da  XXVIII Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro. O santo padre celebrou uma missa para bispos, sacerdotes e religiosos que participaram do maior evento católico do mundo. Depois da bênção, o papa deu quatro terços para Haroldo, Mariselma e os filhos.

Para o casal, a bênção do papa foi uma emoção muito grande, mas de acordo com Lucena, o encontro teve o objetivo de pedir a interferência do pontífice para que a presidenta Dilma Rousseff vete o projeto de lei, aprovado pelo Congresso, que permite o aborto de fetos com má-formação ou sem cérebro – os anencéfalos.

Ruhama sendo abençoada pelo Papa Francisco, em 2013

“Essa criança está com um ano e cinco meses e os dois são gêmeos da mesma placenta. Pela interseção do beato João Paulo II é que essa criança está aqui.

O drama começou em meados de 2011, quando o casal descobriu, ainda nos primeiros meses da gestação, que além de um embrião havia algo a mais na placenta da mãe. Os médicos descartaram a possibilidade de uma gestação bem sucedida de gêmeos. Apesar dos riscos e do medo, os pais optaram em continuar a gestação, descartando qualquer possibilidade de aborto. Foi então que, no dia 9 de fevereiro de 2012, após o parto de Mateus na Maternidade, a equipe médica constatou, que o feto mal formado respirava. Ninguém achava que aquela forma estranha de vida resistiria por mais de 24 horas, mas o bebê continuou reagindo. Ela vê, sorri, interage, balbucia, tem tato e coordenação nos pés e nas mãos. Seu desenvolvimento é bem inferior ao do irmão, mas ainda assim surpreende a todos e, principalmente, aos médicos. A família reside em Caicó, mas está em peregrinação pelo Brasil, mas fez uma parada em Brumado, já que o seu veículo não aguenta mais seguir viagem, por conta dos pneus.

O casal Haroldo e Maricelma em missão pelo Brasil

Haroldo diz que sua filha é como uma lâmpada que sempre acendeu, mas que a gente depois descobre que não tem ligação de energia. A história ganha uma dimensão ainda maior, já que os pais tomaram uma decisão radical, venderam a casa em que moravam, em Caicó e partiram em direção a São Paulo numa Opala, ano 1987, com os dois recém-nascidos em busca da cura para a filha, porém, sem êxito na busca.

O Sr. Haroldo esteve no estúdios da rádio Povo com toda a família, inclusive com a filha Ruhama,  onde revelou que ela  precisa usar um óculos especial que custa cerca de R$ 890,00, sendo confeccionado em São Paulo. Para isso está disponibilizando uma conta do Banco do Brasil,para quem desejar fazer qualquer doação:

Agencia 2878-9

Conta 36161-5

Operação 51

Em nome de Haroldo lucena júnior.

 

 

Share.

About Author

Comments are closed.